.: Instituto de Ciências Biológicas :.

A década de 1990

 

A Década de 90

 

 

0 corpo docente

Na década de 1990, o IB contava com 118 professores, sendo 99 com o título de doutor (cerca de 84%, muito acima da média nacional), distribuídos em sete departamentos: 1. Biologia Celular, com 34 professores, sendo que 30 são doutores. 2. Genética e Morfologia, com 21 professores, dos quais 9 são doutores. 3. Ecologia, com 16 professores, todos doutores. 4. Ciências Fisiológicas, com 14 professores, sendo 10 doutores. 5. Botânica, com 13 professores, dos quais 6 doutores. 6. Zoologia, com 11 professores, todos doutores. 7. Fitopatologia, com 9 professores, sendo 7 doutores.

 

Os cursos de pós-graduação

Na década de 1990, os três cursos de mestrado criados ná década de 1970 - Biologia Molecular (avaliação A da Capes), Fitopatologia (avaliação A) e Ecologia (avaliação B) - já haviam sido consolidados e foram criados os cursos de doutorado nos três cursos: Biologia Molecular, em 1991 (avaliação B), Fitopatologia, em 1991 (avaliação A), e Ecologia, em 1992 (no momento sem avaliação). Em 1992, foi criado o Mestrado em Botânica (avaliação C). No periodo, 1994,  foi implantado o Programa de pós-graduação (Mestrado e Doutorado) em Biologia Animal.

Nesta fase, o IB contava corn 248 estudantes de pós-graduação (143 mestrandos e 105 doutorandos) com a seguinte distribuição entre os seus quatro cursos: 1. Biologia Molecular: 40 mestrandos e 53 doutorandos; 2. Ecologia: 63 mestrandos e 33 doutorandos; 3. Fitopatologia: 23 mestrandos e 19 doutorandos; 4. Botânica: 17 mestrandos.

Até o presente, a pós-graduação do IB teve 471 egressos (447 mestres e 24 doutores), com a seguinte distribuição: 1. Biologia Molecular: 134 mestres e 15 doutores; 2. Ecologia: 182 mestres e 4 doutores; 3. Fitopatologia: 120 mestres e 5 doutores; 4. Botânica: 11 mestres.

 

A produção científica

A produção científica do IB é bastante expressiva. No período de 1994-1998 foram publicados pelo corpo docente 383 artigos em periódicos (250 em periódicos do exterior e 133 no Brasil).

A distribuição dos artigos pelos departamentos está abaixo relacionada:
1. Departamento de Biologia Celular: 135 (109 no exterior e 26 no Brasil);
2. Departamento de Zoologia: 57 (38 no exterior e 19 no Brasil),
3. Departamento de Genética e Morfologia: 55 (29 no exterior e 26 no Brasil);
4. Departamento de Fitopatologia: 44 (27 no exterior e 17 no Brasil);
5. Departamento de Botânica: 40 (13 no exterior e 27 no Brasil);
6. Departamento de Ecologia: 39 (25 no exterior e 14 no Brasil);
7. Departamento de Ciências Fisiológicas 13 (9 no exterior e 4 no Brasil).

 

A captação de recursos

A captação de recursos de agências de fomento nacionais e internacionais durante o período 1994-1998 é expressiva. Foram captados R$9.861.247,00, com a seguinte distribuição por departamento:
l. Departamento de Biologia Celular: R$4.215.291,00.
2. Departamento de Botânica: R$1.709.800,00.
3. Departamento de Ecologia: R$1.327.480,00.
4 . Departamento de Zoologia: R$1.327.000.00.
5 . Departamento de Fitopatologia: R$774.350,00.
6. Departamento de Ciências Fisiológicos: R$507.326,00.

7. Departamento de Genética e Morlogia: dados não disponíveis.

 

Projetos em andamento

Nos últimos cinco anos, cerca de 191 projetos foram ou estão sendo desenvolvidos, a maioria deles com financiamento de agências de fomento. Em função da limitação de espaço e com a finalidade de o leitor poder ter uma idéia das temáticas de pesquisa que os pesquisadores do IB têm desenvolvido nos últimos anos, relacionamos como uma amostragem os títulos de cinco projetos, por departamento:

1. Departamento de Biologia Celular: Inibidor tríptico e quimiotrópico de Vigna unguilata: estrutura tridimensional por homologia; Cinética e termodinarnica da interação com a quimiotripsina; Biologia molecular do fungo dimórfico Paracoccidioides brasiliensis; Estrutura e função de proteinas: citoliticas, tóxicas e proteinas transdutoras de sinal; Apoptose e o programa de morte celular programada; Estudos estruturais e ultra-estruturais da citopatologia da infecção do baculovírus Anticarsia em cultura de células e intestino médio de Anticarsia gemmatalis.

2. Departamento de Fitopatologia: Taxonomia de fungos; Controle biológico de fungos; Epidemiologia e controle de doenças de plantas; Nematologia vegetal; Biologia molecular de fitopatógenos.

3. Departamento de Ecologia: Ecologia vegetal do cerrado; Ecologia do fogo do cerrado; Limnologia: estrutura de comunidades planctônicas e fatores físico-químicos; Ecologia de mamíferos, comportamento de primatas; Ecologia e sociedade: educação ambiental.

4. Departamento de Genética e Morfologia: Genética da distrofia muscular congênita: avaliação do prognóstico motor e sua relação com as anomalias do sistema nervoso central; Aspectos genéticos da contaminação do mercúrio em residentes de regiões de extrativismo da Amazônia Legal; Freqüência de erros inatos do metabolismo em população com distúrbios do aparelho locomotor; Análise histológica dos órgãos dos aparelhos digestivo, reprodutor e respiratório de diferentes espécies de vertebrados do cerrado; Desenvolvimento embrionário do bicho-da-seda (Bombyx mori).

5. Departamento de Zoologia: Distribuição espacial da fauna do cerrado; Efeito das queimadas na comunidade de insetos no cerrado de Brasília; Demografia e biologia reprodutiva do anu branco (Guirra guirra) na região do cerrado; Conservação e recuperação da biodiversidade em matas de galeria; Inventário biológico das abelhas nativas dos cerrados.

6. Departamento de Ciências Fisiológicas: Toxinas presentes na secreção cutânea de anfíbios; Metabolismo energético e fadiga muscular; Proteínas de estresse na germinação de sementes; Estudo comparativo da organização do cortex visual de primatas; Visão de cores em macacos do Novo Mundo.

7. Departamento de Botânica: Taxonomia de criptógamos e fanerógamos; Biologia floral e polinização de especies nativas do cerrado; Anatomia foliar de especies do cerrado; Variação somaclonal em plantas cultivadas (banana, abacam); Plantas medicinais e nativas do cerrado: avaliação do potencial econômico e biologia reprodutiva; Anatomia de madeiras.

Cursos de graduação

O IB em 1988, teve dois cursos próprios de graduação, com um total de 471 alunos: 1. Licenciatura em Ciências Biológicas: diurno: 42 alunos; noturno: 201 alunos; 2. Bacharelado em Ciência Biológicas diurno: 228 alunos. Os docentes do IB participam ainda dos seguintes cursos, ministrando principalmente disciplinas básicas: Agronomia, Engenharia Florestal, Farmácia, Medicina, Medicina Veterinária, Enfermagem e Obstetrícia, Nutrição, Odontologia, Psicologia, Geologia, Engenharia Elétrica, Engenharia Mecânica, Engenharia Civil,  e Química. Em 1998, o total de alunos desses 14 cursos atingiu 2.155.

Um expressivo número de estudantes egressos dos cursos de ciências biológicas e de medicina da UnB destacou-se em suas atividades acadêmicas. Entre eles podemos destacar: João Batista Calixto, que atualmente lidera um dos mais importantes grupos de farmacologia do país na Universidade Federal de Santa Catarina; John Young, que se doutorou na Rockefeller University e durante seu pós-doutorado fez uma descoberta relevante na biologia: a descrição das perforinas; Claudio Melo, que durante seu doutorado na Rockefeller University fez descobertas importantes da biologia molecular dos processos cognitivos; Sidarta Tollendal Ribeiro, que obteve o mestrado em oito meses ne Instituto de Biofísica da UFRJ e que na Rockefeller University, deu continuidade ao trabalho iniciado por Claudio Melo e hoje é responsável pelo Instituto do Cérebro na UFN.

 

Campus Universitário Darcy Ribeiro, Brasília - CEP 70910-900 - Telefone Geral (55) (61) 3107 - 2902
Copyright © 2010 Universidade de Brasília. Todos os direitos reservados.

Evden eve nakliyat Boya